Maria Fumaça

A locomotiva se tornou referência histórica e identitária ao longo dos anos inclusive para a ferroviária três-lagoense. A restauração da antiga locomotiva iniciou em 2017 com a municipalização do espólio histórico ferroviário buscando a consolidação histórica e memorial que será exposta permanentemente ao público.

Detalhes

SAIBA MAIS SOBRE


Local da Exposição: Galpão da NOB | Centro da Cidade | Avenida Rosário Congro em frente à Praça Senador “Ramez Tebet”


Com pretensões de se tornar a primeira ferrovia transoceânica do hemisfério sul, unindo a costa atlântica no porto de Santos ao porto pacífico de Arica no Chile, a construção da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil foi um dos maiores empreendimento ferroviários mundiais abrangendo 1.622 quilômetros de extensão anexando o centro-oeste ao resto do país.

O assentamento dos primeiros quilômetros de trilhos aconteceu na Estrada de Ferro Mauá, inaugurada em 30 de abril de 1854, fazendo com que a ferrovia ocupasse lugar solene e crucial na integração territorial e no escoamento de produtos e mercadorias e, após este período, a expansão da malha ferroviária só aumentaria.

Três Lagoas é fruto deste processo. A força motriz das locomotivas à vapor fazem parte deste esforço de desenvolvimento com a Estrada de Ferro Noroeste do Brasil sendo o maior o mais importante empreendimento ferroviário em sua época, consolidando o território “mato-grossense” na fundação de cidades em seu percurso.

As locomotivas à Diesel substituíram as de vapor em meados dos anos 50 encerrando suas atividades em território nacional. Quando não desmontadas para sucateamento, pátios abandonados serviram de estacionamento, entre eles os das estações da Noroeste do Brasil que antes adquirira centenas destas locomotivas.

Cargas e passageiros foram transportados a partir e rumo a Três Lagoas pela locomotiva Baldwin Locomotive Works modelo 405, adquirida nos anos 1930. Já sem condições operacionais foi relegada ao desuso e ao esquecimento no início dos anos 1970, sofrendo a ação do tempo e da depredação no pátio das oficinas de pontes e carpintaria.

A locomotiva se tornou referência histórica e identitária ao longo dos anos inclusive para a ferroviária três-lagoense. A restauração da antiga locomotiva iniciou em 2017 com a municipalização do espólio histórico ferroviário buscando a consolidação histórica e memorial que será exposta permanentemente ao público.

Com isto, Três Lagoas se torna uma das poucas cidades que ainda possuem uma máquina à vapor como patrimônio histórico monumental.

TOP
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support